Calendário

Fevereiro 2023
Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28

Evento ‘Mulheres na Ciência’ debate a violência contra a mulher no País

Evento Mulheres na Ciencia Violência contra a mulher é o tema da próxima edição do projeto "Mulheres na Ciência”, marcada para o dia 21 de outubro, às 15h. Deborah Malta, professora da Escola de Enfermagem da UFMG; Ludmila Ribeiro, do Departamento de Sociologia da UFMG; Juliana Maggi Lima, integrante da Comissão Permanente da Mulher Advogada da OAB-SP e Lettycia Vidal, fundadora da Gestar, plataforma que atua no combate da violência obstétrica, discutem as diferentes faces da violência no contexto feminino. O encontro vai acontecer online, via Youtube da Fundep e State Innovation Center simultaneamente

“A discussão é importante porque trata da violência que muitas vezes passa despercebida em nosso cotidiano, como os assédios morais, as piadas machistas, os comentários sobre a aparência feminina e também a desvalorização das mulheres que ocupam o cargo de chefia, que são descredibilizadas”, explica a professora Ludmila Ribeiro, pesquisadora no Centro de Estudos de Criminalidade e Segurança Pública (Crisp) da UFMG.

Eliminar todas as formas de violência contra todas as mulheres e meninas nas esferas públicas e privadas é uma das prioridades da Agenda 2030 de Desenvolvimento Sustentável preconizada pela Assembleia Geral das Nações Unidas em 2015. Entre os 17 objetivos globais, foram incluídas metas para o alcance da igualdade de gênero e, assim, apoiar mulheres e meninas.

As estatísticas evidenciam como o alcance dessas metas desafia o Brasil. Segundo a Ouvidoria Nacional dos Direitos Humanos, apenas no primeiro semestre de 2022 foram 31.398 denúncias e 169.676 violações envolvendo a violência doméstica contra as mulheres. Dados levantados pela professora Deborah Malta e seus orientandos, mostram que, no País, 41% das mulheres sofreram violência psicológica e mais de 27% sofreram violência física do parceiro íntimo pelo menos uma vez na vida. A pesquisa teve como amostra representativa a cidade de São Paulo e 15 municípios da Zona da Mata de Pernambuco.

“Estamos diante do desafio de alcançar os objetivos propostos pela ONU, considerado a violência institucionalizada na nossa sociedade, como o machismo e a misoginia, que tem ampliado nos últimos anos. A Pesquisa Nacional de Saúde (PNS – 2019) apontou que 19,3% das mulheres sofreram algum tipo de violência, seja psicológica, física ou sexual, portanto, combater a violência contra a mulher é um dever do Estado. Temos que proteger meninas e mulheres e avançar nesse sentido”, avalia a professora da Escola de Enfermagem da UFMG Deborah Malta.

Os encontros do projeto Mulheres na Ciência são promovidos pela Fundação de Apoio da UFMG (Fundep) e pelo State Innovation Center, hub de inovação localizado em São Paulo (SP). As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas pela plataforma Sympla. O Biotechtown, hub de inovação voltado exclusivamente para o desenvolvimento de empresas, produtos e negócios nas áreas de Biotecnologia e Ciências da Vida, é parceiro da iniciativa.

Conheça as participantes da 9ª edição da iniciativa Mulheres na Ciência:

Deborah Malta | Escola de Enfermagem da UFMG
Deborah é médica, professora associada da Escola de Enfermagem da UFMG e pesquisadora na Universidade e na FAPEMIG. Ela é pós-doutora em avaliação em saúde e doutora em Saúde Coletiva. Compõe o comitê científico do Global Burden of Disease (GBD) em Seattle (EUA), coordena o Grupo de Pesquisa do GBD Brasil e o Observatório de Doenças e Agravos Não Transmissíveis, pesquisa sobre o tema de violências contra mulheres, com apoio da Fundação Gates. Foi diretora do Departamento de Vigilância de Doenças e Agravos Não Transmissíveis e Promoção da Saúde do Ministério da Saúde por 12 anos, coordenando os Inquéritos nacionais (Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar, Vigitel, Pesquisa Nacional de Saúde (2013) e Vigilância de Acidentes e Violências e o Plano DCNT no Brasil, 2011-2022.

Juliana Maggi Lima | Comissão Permanente da Mulher Advogada da OAB-SP
Bacharel em Direito pela PUC-SP. Mestre em Direito Civil pela USP. Especialista em Direito de Família e Sucessões pela EPD. Especialização em Direito da Família pelo Centro de Direito da Família da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra (curso de inverno). Sócia de DBML Advocacia. Atualmente é membra da Comissão Permanente da Mulher Advogada da OAB-SP, membro da Primeira Turma Julgadora do Conselho de Prerrogativas da OAB-SP, membra da Comissão de Direito de Família e Sucessões da OAB-SP e orientadora Sênior do Centro de Assistência Judiciária Saracura (CAJU) da FGV.

Lettycia Vidal | Gestar
Lettycia é publicitária, doula e educadora perinatal. Possui experiência nos mercados de marketing digital e de saúde materno infantil. Fundou a Gestar, plataforma que atua no combate da violência obstétrica, a partir da dor que sua família vivenciou quando sua mãe sofreu violência obstétrica no parto de seu irmão mais novo, a partir de então, esse passou a ser o tema de estudo.

Ludmila Ribeiro | Departamento de Sociologia da UFMG
É professora associada no Departamento de Sociologia e pesquisadora no Centro de Estudos de Criminalidade e Segurança Pública (Crisp), ambos na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Possui doutorado em Sociologia pelo Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro (IUPERJ), mestrado e graduação em Administração Pública pela Fundação João Pinheiro e graduação em Direito pela UFMG. Foi pesquisadora visitante na University of Florida, na University of Groningen e na Texas State University. Já coordenou diversas pesquisas sobre homicídios, políticas de segurança pública, padrões de policiamento e justiça criminal, financiadas por organismos nacionais e internacionais, além de ter atuado como consultora do PNUD. É editora da Revista de Estudos Empíricos em Direito, assistente na editoria da Revista Brasileira de Segurança Pública e bolsista de produtividade nível PQ2 do CNPq. Suas principais publicações estão relacionadas ao funcionamento do sistema de justiça criminal; policiamento comunitário e políticas de segurança pública.

Mediação:
Luana Aquino | Head de Comunicação do State Innovation Center
Luana é a responsável pelo núcleo de comunicação do State Innovation. É comunicadora, empreendedora social e cultural e, também tem experiência profissional como jornalista com passagens pelos setores de: TI e telecomunicações, jornalismo esportivo, webjornalismo, TV, marketing, branding e relações públicas.
(Assessoria de Comunicação da Fundep)